A CMA CGM continua à procura de oportunidades de compra de companhias de transporte marítimo de contentores, fracassada que foi a aproximação à Happag-Lloyd, avança a “Reuters”.

Falhada a Hapag-Llloyd, a CMA CGM procura outros alvos

O CEO da CMA CGM, Radolph Saadé, confirmou à agência noticiosa que a companhia francesa esteve interessada na concorrente alemã, mas indicou que o assunto está encerrado. O executivo, que prestava declarações ontem (dia 6), no porto de Le Havre, à margem do baptismo do novo navio-almirante da companhia, o CMA CGM Saint Exupéry (20 600 TEU), não revelou, porém, futuros alvos de fusões e aquisições.

As notícias sobre a abordagem exploratória da CMA CGM à Hapag-Lloyd para uma potencial fusão surgiram em Julho último. A companhia alemã recusou, no entanto, a proposta. Na altura, a consultora Drewry “condenou”, antecipadamente, um eventual negócio, afirmando que a fusão seria, provavelmente, questionada pelas autoridades reguladoras por temerem que violasse as regras da concorrência.

A aquisição mais recente da CMA CGM foi a da companhia de transporte de contentores brasileira Mercosul Line, à Maersk Line. O acordo entre os grupos francês e dinamarquês foi anunciado em Junho e surgiu no seguimento da decisão da Maersk Line de adquirir a Hamburg Süd (negócio finalizado em Novembro do ano passado).

Um ano antes, a CMA CGM havido adquirido a Neptune Orient Lines (NOL), que opera através da marca APL.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.