A CMA CGM já detém quase 90% da CEVA Logistics no fim da primeira fase da OPA, mas deverá aumentar ainda a sua participação.

Os dados provisórios da OPA apontam para que a companhia francesa tenha ficado com 89,47% das acções do operador 3PL. A OPA oferecia 30 francos suíços (26,4 euros) por acção, o que à altura do pré-anúncio representava um prémio de 46% sobre a cotação média anterior e avaliava a CEVA em cerca de 1,46 mil milhões de euros. A decisão da CMA CGM avançar com a OPA foi tomada após a CEVA ter rejeitado uma proposta de compra da DSV.

A CMA CGM acumulou uma participação de 33% na CEVA desde que o operador logístico dispersou o seu capital na Bolsa de valores suíça no ano passado. Inicialmente, adquiriu 24,99% e depois aumentou para 33%. O grupo francês comprou, entretanto, mais 17,6% das acções por meio de contratos futuros com a Société Générale e a Goldman Sachs que se converterão em acções em Junho, o que dá à CMA CGM um controlo de 50,6% das acções mesmo antes da OPA.

Na OPA mais de três quartos (78,69%) dos accionistas remanescentes venderem os seu títulos à CMA CGM, numa percentagem equivalente a 38,9% do total das acções da CEVA.

Um período adicional de aceitação terá início na quarta-feira (dia 20) e durará até 2 de Abril. As analistas prevêem que mais acções em circulação sejam vendidas à CMA CGM.

Comments are closed.