A CMA CGM melhorou os resultados operacionais e os volumes no segundo trimestre. Mas a integração da CEVA Logistics e as novas normas contabilísticas ditaram os prejuízos.

As receitas do Grupo CMA CGM no segundo trimestre do ano ascenderam a 7,7 mil milhões de dólares (sete mil milhões de euros), um aumento de 35% em relação ao período homólogo do anterior.

O EBITDA ajustado foi de 954 milhões de dólares (864 milhões de euros), dos quais 464 milhões (421 milhões de euros) com o impacto da aplicação das normas contabilísticas IFRS 16 e 147 milhões (133 milhões de euros) com a consolidação da CEVA Logistics. Excluindo esses dois factores, o EBITDA ajustado aumentou 60,1% em relação ao ano anterior, para 343,6 milhões de dólares (311,5 milhões de euros), contra 214,6 milhões (194,5 milhões de euros) no segundo trimestre de 2018. “Este desempenho reflectiu o crescimento sustentado da receita e o impacto de o plano de melhoria de desempenho e controlo de custos em implementação desde o início do ano”, explicam desde a CMA CGM.

A margem EBITDA ajustada melhorou para 12,4%, uma das melhores do sector e a subir em relação ao segundo trimestre de 2018 e ao primeiro trimestre de 2019.

Quanto aos volumes transportados, a CMA CGM fechou o segundo trimestre com um aumento de 6,3% em relação ao segundo trimestre de 2018 e 6,8% em relação ao primeiro trimestre de 2019.

“A actividade da divisão marítima do grupo beneficiou particularmente dos dinamismos de suas rotas intrarregionais e registou um crescimento em volumes acima do crescimento do mercado global”, refere o comunicado da companhia liderada por Rodolphe Saadé.

A implementação do IFRS 16 e a recente aquisição da CEVA Logistics resultaram num resultado líquido negativo de 109 milhões de dólares (98,8 milhões de euros) no segundo trimestre.

Confiança para o resto do ano

Num contexto de incerteza geopolítica, o grupo CMA CGM afirma que continua concentrado nos seus esforços na eficiência operacional, controlo de custos e racionalização das suas actividades e marcas industriais. Além disso, o “embalo” positivo gerado pela aquisição da CEVA Logistics permitirá gradualmente ao grupo beneficiar de um ambiente menos volátil e mais diversificado do que o sector marítimo.

“Graças a todas as medidas adoptadas, o grupo está confiante para o segundo semestre de 2019, o qual deve ser melhor que o primeiro. O grupo CMA CGM continuará a melhorar o seu desempenho financeiro e a adaptar a sua oferta comercial no sentido de ter uma oferta completa para os clientes”, referem o comunicado do grupo.

 

Tags:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*