A CMA CGM formalizou hoje  a Oferta Pública de Aquisição (OPA) geral sobre a NOL, pré-anunciada no passado 7 de Dezembro.

cma-cgm-bougainville

Obtidas as necessárias autorizações das entidades internacionais reguladoras da Concorrência, a companhia gaulesa avançou com o negócio já acordado com a Temasek Holding, o fundo soberano de Singapura, que controla a NOL (detém cerca de 67% da companhia).

A contrapartida oferecida – e que a CMA CGM não pretende rever – é de 1,3 dólares de Singapura por acção, a serem pagos em cash. O que a avalia a NOL em 2,4 mil milhões de dólares (2,2 mil milhões de euros) e torna esta a maior aquisição da história da indústria do transporte marítimo de contentores.

Para viabilizar a OPA, a CMA CGM comprometeu-se a retirar a APL (a insígnia da NOL para o transporte de contentores) da aliança G6. Um “remédio” que entretanto praticamente se tornou desnecessário com o anúncio da criação da Ocean Alliance.

Com a integração da NOL/APL, a CMA CGM reforçará o seu terceiro lugar no ranking mundial, com uma quota de mercado (em termos de capacidade) de cerca de 11,4%.

 

Tags:

Comments are closed.