A requalificação da estação ferroviária de Coimbra-B, na linha do Norte, só será realizada integrada na empreitada de construção do futuro terminal de Metrobus do Sistema de Mobilidade do Mondego, informou o Governo.

Requalificação de Coimbra-B só avança com o Sistema de Mobilidade do Mondego

 

“Relativamente à obra, tendo em consideração que a intervenção na estação de Coimbra-B fica directamente dependente da construção do futuro terminal do Metrobus, pretende-se, numa lógica de racionalização de recursos, que toda a intervenção seja efectuada numa mesma empreitada”, afirmou, em resposta escrita
enviada à “Lusa”, o gabinete do ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

Em Outubro de 2016, o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’Oliveira Martins, revelou, em Coimbra, que a remodelação de Coimbra-B iria inserir-se no âmbito da modernização da Linha do Norte, Oito meses depois, em Junho de 2017, o ministro Pedro Marques, também em Coimbra, anunciou o lançamento do concurso público do projecto de requalificação daquela estação ferroviária.

Um ano volvido, em Junho último, a Infraestruturas de Portugal (IP) apontou o início da obra de requalificação de Coimbra-B (conhecida em Coimbra como Estação Velha) para o último trimestre de 2019, segundo um projecto “em curso” que incluía igualmente a modernização da estação de Alfarelos.

Agora, e de acordo com a resposta do Governo, a empreitada só deverá começar no último trimestre de 2020 – data prevista de encerramento do canal ferroviário de ligação entre a linha do Norte e Coimbra-A (a estação localizada na Baixa da cidade) para implementação do Metrobus – e estar concluída no final de 2021, quando aquela solução tecnológica de autocarros eléctricos entrar ao serviço.

A agência”Lusa” tinha questionado o gabinete do ministro Pedro Marques sobre o projecto de modernização da estação de Coimbra-B, requerendo informação sobre o aviso de concurso, data, valor e entidade a quem foi adjudicado o referido projecto, bem como se o prazo indicativo de início da obra (último trimestre de
2019, anunciado pela IP) se mantinha.

Na resposta, o gabinete do ministro indicou que “o projecto de beneficiação da estação de Coimbra-B foi adjudicado em 19 de Setembro de 2017, tendo sido concluído o respectivo Estudo Prévio em 13 de Abril de 2018”.

“Contudo, tendo em consideração que em simultâneo decorria um estudo para a localização do futuro terminal do Sistema de Mobilidade do Metro do Mondego – MetroBus (que nessa altura ainda incluía quatro possíveis localizações, duas a nascente e duas a poente da estação de Coimbra-B) foi entendido, conjuntamente
com a Câmara Municipal de Coimbra, que a solução a desenvolver para a beneficiação da estação de Coimbra-B deveria estar enquadrada com o futuro Terminal”, referiu o gabinete de Pedro Marques.

“Por esta razão”, o Governo decidiu “suspender temporariamente o desenvolvimento do projecto, até existir uma definição concreta da localização do Terminal”.

Esta definição foi feita, segundo a mesma fonte, três meses depois, em Julho: foi decidido localizar o futuro terminal do Metrobus “a Nascente” da estação de Coimbra-B “e definido o respectivo traçado urbano do canal afecto entre o Terminal e a estação de Coimbra Cidade [Coimbra-A]”, revela o gabinete do ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

Acrescenta que a localização do futuro terminal e respectivo canal “implicará desactivar o actual troço ferroviário entre Coimbra-B e Coimbra Cidade, com a consequente necessidade de se reformular parcialmente o ‘layout’ ferroviário da Estação de Coimbra-B”, embora sem precisar datas para essa intervenção.

“Por sua vez, esta localização permitirá também melhorar significativamente a acessibilidade à estação ferroviária e dotar a cidade de Coimbra de um Interface Intermodal devidamente estruturado entre os vários meios de transporte público”, argumenta o gabinete de Pedro Marques.

 

Os comentários estão encerrados.