João Manuel Fernandes Simões, comandante do navio de cruzeiros Hamburg, foi ontem multado pelo tribunal de Belfast, por conduta considerada imprópria quando o seu navio encalhou à entrada do porto de Tobermory (Escócia), em Maio passado.

Hamburg

O comandante português estava acusado de falhar o planeamento da entrada no porto e de não yer avisado em tempo as autoridades competentes sobre o incidente. Declarou-se culpado e foi sentenciado ao pagamento de uma multa de 813 libras esterlinas.

Comentando o desfecho, um responsável da UK Maritime and Coastguard Agency (MCA) sublinhou que o incidente “esteve muito perto de terminar em tragédia. O comandante falhou no seu dever de vigilância e de garante da segurança dos passageiros e tripulação”.

Os factos remontam a 11 de Maio. Na altura, o Hamburg, com bandeira das Bahamas e capacidade para 420 passageiros, aportou a Tobermory, no seu caminho entre Dublin e Hamburgo. Como havia mais já outros dos navios de cruzeiro a entrarem na baia, o Hamburg ficou à espera a cerca de duas milhas do porto. Quando finalmente lhe foi dada autorização para atracar, o comandante errou na rota de aproximação e o navio embateu em rochas sofrendo danos.

Após uma inspecção interna, o armador deu instruções para que o navio prosseguisse viagem para Belfast. Só mais tarde é que a Guarda Costeira foi informada do incidente e contactou o navio.

“Depois do incidente, ele [o comandante português] seguiu directamente para Belfast, sem notificar as devidas autoridades nem avaliar correctamente a extensão dos danos no casco com recurso a uma inspecção por mergulhadores”, acrescentou o mesmo responsável da MCA.

Os comentários estão encerrados.