O comboio carregado de automóveis da Autoeuropa que no passado sábado rumou a Santander demorou 21 horas a cumprir o percurso, adiantou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS fonte oficial da Medway.
João Cunha

A experiência de transportar por ferrovia automóveis produzidos na fábrica de Palmela da Autoeuropa até ao porto de Santander foi anunciada pela Medway, mas na verdade o comboio foi “integrado pela Transfesa, com vagões da sua proopriedade”, precisou a mesma fonte.

A Medway assegurou, sim, a tracção em território português, sendo a tracção em Espanha da responsabilidade da Renfe Mercancias.

O comboio, transportando 150 automóveis distribuídos por 15 vagões de dois pisos, saiu da Autoeuropa “pelas 14 horas” de sábado, e chegou a Santander “pelas 12 horas locais” [mais uma hora que em Portugal] de domingo. O transit-time foi, pois, de 21 horas.

A iniciativa da experiência partiu da Autoeuropa, que assim pretendeu experimentar alternativas à rodovia e ao porto de Setúbal, depois da recente greve dos estivadores locais.

Do lado da Medway, fonte oficial disse ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS não haver conhecimento da previsão de novos testes, mas sustentou que “a ferrovia pode sempre substituir qualquer outro modo de transporte, seja o navio, seja o camião”.

Recorde-se que a Medway tem planeado para este ano o relançamento do chamado “comboio da Autoeuropa”, que há uns anos ligou Portugal à Alemanha, numa operação alavancada pelos fluxos de componentes componentes oriundos do Centro da Europa e destinados à fábrica de Palmela.

Note-se também que ainda ontem o presidente da AFIA alertou para a falta de alternativas ferroviárias para encaminhar os componentes para a indústria automóvel produzidos em Portugal para os mercados europeus.

 

This article has 1 comment

  1. 21 Horas de Palmela a Santander por comboio será demasiado tempo , ai a rodovia ganha , em relação ao centro da Europa ,sim mas com equipamento de dupla bitola para evitar o máximo de perdas de tempo