Os planos da MSC e da Medway de lançar um comboio diário entre o porto seco de Sevilha e Sines ensombram o futuro próximo do terminal de contentores de Cádiz, teme a comunidade portuária local.

O novo serviço tem arranque previsto para 4 de Abril e oferecerá uma capacidade de transporte de cerca de 100 contentores em ambos os sentidos. A MSC justifica a aposta com a redução dos tempos de trânsito, facilitando as exportações e importações daquela região espanhola através de Sines.

Dito por outras palavras, assume-se em Cádiz, a MSC aposta em tornar Sines na porta atlântica para o mercado espanhol, com a nova ligação ferroviária a Sevilha a permitir também a distribuição, por ferrovia, para o resto do país vizinho.

Acontece que a MSC opera em Cádiz um serviço para Sines (e outro para Valência). Que poderão assim estar em risco. A imprensa local dá conta dos receios da comunidade portuária e avança mesmo que a decisão do armador já terá sido comunicada à administração portuária e não será favorável ao porto.

Acresce que além da MSC apenas a Trasmediterránea escala actualmente o terminal de contentores de Cádiz (depois da saída da OPDR). Pelo que a Concasa, concessionária do terminal, arrisca ficar com uma única escala semanal para as Canárias.

A Concasa, recorde-se, venceu a concessão do novo terminal de contentores da Baía de Cádiz, onde terá de investir 600 mil euros nos próximos meses (depois de ter aplicado recentemente três milhões de euros num pórtico pós-Panamax) para ali operar a partir de 2020.

This article has 1 comment

  1. luís pereira

    Boas notícias para Sines e Alentejo, é preciso travar concorrência a Algeciras, atraindo assim o máximo de contentores para Portugal face a Espanha, Parabéns !