Mercadorias chinesas destinadas a mercados como Portugal poderão passar a chegar a Roterdão por comboio, sendo depois reencaminhadas pelos serviços de shortsea.

comboio-china-roterdao

O operador ferroviário chinês CDiRS lançou o serviço de transporte ferroviário de mercadorias Chengdu – Tilburg – Roterdão. Com um tempo de trânsito de 15 dias, é o primeiro serviço regular entre a China e a Holanda.

A operação arrancou com uma frequência semanal, mas a CDiRS e o parceiro holandês Railport Brabant (grupo GVT) têm como meta chegar às cinco ligações/semana até ao fim de 2017. O percurso entre a cidade chinesa e o porto holandês é feita através do Cazaquistão e pela Rússia (região de Moscovo).

Os dois operadores salientam, além disso, que desde Chengdu há ligações ferroviárias a cidades chinesas como Xangai, Ningbo, Wuhan, Yiwu, Xiamen, Shenzhen, Nanning and Kunming, assim como ao Vietname e à Coreia do Sul.

Do lado europeu, também haverá ligações para aumentar a área de alcance do novo serviço. “Mercadorias oriundas da China são regularmente enviadas, por shortsea, do porto de Roterdão para o Reino Unido, Escandinávia e Portugal”, explica, citado em comunicado, o director-geral de logística do grupo GVT, Roland Verbraak.

“Roterdão já é o destino mais importante das mercadorias chinesas por mar. Graças a este novo serviço, estamos a adicionar uma ligação rápida por terra”, afirma, por seu turno, o CEO da autoridade portuária de Roterdão, Allard Castelein. “Acreditamos firmemente neste conceito, desde logo porque grande parte da Europa pode ser alcançada de forma eficiente através das excelentes ligações de shortsea com partida de Roterdão – e vice-versa, claro”, acrescentou Castelein.

 

 

Comments are closed.