O combustível com baixo teor de enxofre é mais caro cerca de 30% que o bunker “normal” e o preço deverá subir ainda nos próximos anos, avisa a Drewry.

O combustível com teor de enxofre inferior a 0,5% será o único em conformidade com as novas normas da IMO, em vigor a partir de 1 de Janeiro de 2020.

O combustível com pouco enxofre está a ser vendido no porto de Singapura a cerca de 560 dólares a tonelada, de acordo com a Drewry. Um valor que é cerca de 30% mais caro do que o preço do bunker com elevado teor de enxofre.

Desde a consultora assinalam, porém, que os operadores devem analisar estes números com cautela, na medida em que a procura por combustível com baixo teor de enxofre aumentará consideravelmente a partir de Novembro e as condições do mercado serão então muito diferentes.

A Drewry prevê, por isso, que os BAF (Bunker Adjustement Factor) a praticar pelas companhias marítimas subirão entre o quarto trimestre de 2019 e o primeiro trimestre de 2020, e que “serão muito voláteis” na primeira metade do próximo ano.

“Acreditamos na hipótese de os preços do bunker com baixo teor de enxofre caírem, após aumentarem em 2020, em 2021 e 2022, à medida que o prémio de preço inicial diminua”, observam desde a consultora.

A Drewry antecipa que cerca de 5% da capacidade total do transporte marítimo será equipada com filtros de gases de escape (scrubbers).

 

 

Tags:

Comments are closed.