As principais companhias aéreas chinesas preparam-se para contestar judicialmente a intenção da Comissão Europeia de incluir o sector no esquema de comércio de emissões a partir de 2012.

De acordo com o “Beijing News”, as companhias chinesas prevêem um sobrecusto de 800 milhões de yuan (122 milhões de dólares) já em 2012. Em 2020, a factura poderá chegar aos três mil milhões de yuan.

A Air China, a China Southern e a China Eastern, as três maiores companhias do país, pretendem agir legalmente contra Bruxelas, com o apoio da associação chinesa de transporte aéreo. A Hainan Airlines, outra companhia de dimensão, poderá juntar-se-lhes.

A União Europeia decidiu impor taxas pelas emissões de carbono a todos os voos com origem/destino nos aeroportos dos 27, a partir de 1 de Janeiro do próximo ano. As companhias aéreas terão assim de suportar um sobrecusto estimado de 1,4 mil milhões de dólares já em 2012.

As companhias norte-americanas foram as primeiras a recorrer à Justiça, encontrando-se o caso no Tribunal Europeu do Luxemburgo.

No caso das companhias chinesas, o preço de um bilhete de avião entre a China e a Europa deverá subir 200 yuan por trajecto só para acomodar o sobrecusto do esquema de comércio de emissões.

Comments are closed.