O mercado da carga aérea cresceu 1,2% em Junho, comparativamente com o mês homólogo de 2012, puxado pela boa performance das companhias europeias.

O resultado de Junho, hoje divulgado, compara com vantagem com o crescimento homólogo de 0.9% registado em Maio, e mais ainda com o aumento de 0,1% verificado em todo o primeiro semestre. No entanto, avisa a IATA, será ainda cedo para falar no fim da estagnação da actividade verificada nos últimos 18 meses.

Desta feita, foram as companhias aéreas europeias a brilhar, tendo alcançado um crescimento homólogo de 2,6%. Também aqui, ainda não se poderá falar no fim da crise mas nota-se um abrandamento da tendência de quebra da produção e um aumento da confiança dos consumidores.

A impedirem uma melhor performance global da carga aérea continuam as companhias da Ásia-Pacífico, que em Junho registaram uma quebra de volumes de 1,8% em termos homólogos. Entre as operadoras da América do Norte, o recuo foi de 1,2%.

Ao invés, a região do Médio Oriente continua a crescer muito depressa. Em Junho, o salto foi de 12,7% em termos homólogos. Em alta, de 7%, estiveram também as companhias da América Latina, enquanto as africanas avançaram 2,4%.

No balanço do primeiro semestre, o mercado da carga aérea cresceu 0,1% em volume, destacando-se o Médio Oriente com um avanço de 11,2%. A Europa recuou ainda 0,1%, a América do Norte cedeu 1,6% e a Ásia-Pacífico 2,3%. A ganhar estiveram as companhias de África (4,3%) e da América Latina (3,7%).

Comments are closed.