Quinze companhias de transporte marítimo, entre as quais a Maersk Line, a MSC e a CMA CGM, propõem-se alterar as políticas tarifárias para chegarem a um acordo com a União Europeia que evite a aplicação de multas por cartelização de preços, avança a “Reuters”, citando pessoas próximas do processo.

Maersk Line

De acordo com aquelas fontes, as 15 empresas propõem-se publicar preços de frete vinculativos um mês antes de estes entrarem em vigor. Em alguns casos, aquele valor poderá funcionar como preço máximo. A Comissão Europeia deverá dar resposta à proposta das companhias durante a corrente semana.

Bruxelas abriu uma investigação às empresas, que estão entre as 18 maiores do sector a nível mundial, em Novembro de 2013, após as primeiras buscas, realizadas em Maio de 2011. A tutela da Concorrência na UE considera que as companhias de transporte podem estar a praticar concertação de subidas de preços desde 2009.

Além de Maersk Line e da MSC, as empresas envolvidas no processo são, de acordo com as fontes ouvidas pela “Reuters”, a CMA CGM, Evergreen Marine, Hapag-Lloyd, Cosco, CSCLg, Hamburg Sud, Hanjin, OOCL, MOL, UASC, NYK, HMM e Zim.

 

 

Comments are closed.