As exportações de componentes automóveis ascenderam a 6 335 milhões de euros de Janeiro a Setembro, um novo recorde, indica a AFIA.

Com base nos dados de comércio internacional de bens divulgados pelo INE, a Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel sublinha que aquele volume é 3,1% superior ao do período homólogo de 2018. Desde 2014 que o sector dos componentes automóveis bate recordes no acumulado das exportações.

A indústria de componentes automóveis representa 14,2% das exportações de bens transaccionáveis.

O maior destino das exportações lusas de componentes continua, de acordo com a AFIA, a ser a UE, que absorve 90%, com o resto do mundo a ficar com a restante quota. Os 5 703 milhões vendidos para a União Europeia representam mais 2,8%, com as exportações para os restantes continentes a terem um crescimento percentual superior, de 5,8% (para 632 milhões de euros).

Por país, Espanha (+7,7%, para 1 666 milhões), Alemanha (+4%, para 1 343 milhões), França (+2,4%, para 901 milhões) e Inglaterra (-11,8%, para 552 milhões) destacam-se. O conjunto destes quatro países representa 70% do total das exportações, estando os restantes 30% distribuídos por outros países europeus e outros de fora da Europa, como os Estados Unidos, Marrocos, China, México e Turquia.

 

 

 

 

 

Comments are closed.