O concurso para a concessão da exploração da rede de Metro do Porto será lançado em Abril, o mais tardar em Maio, adiantou o presidente da empresa em entrevista ao “Público”.

Metro do Porto

O contrato actual, com a ViaPorto, do Grupo Barraqueiro, terminará em Abril de 2018, depois de várias prorrogações (em parte devido ao imbróglio do concurso lançado pelo anterior Governo e anulado pelo actual). Jorge Moreno Delgado quer, por isso, avançar o quanto antes para garantir que tudo estará decidido (inclusive o visto do Tribunal de Contas) a tempo e horas.

Em princípio, avançou, o novo contrato de concessão terá uma duração de sete anos e, tal como o actual, incluirá a exploração da rede e a manutenção corrente da frota. À medida que a rede for crescendo – ao longo do período de concessão deverão ser construídas duas linhas – a concessionária verá o seu pagamento acrescido em função do número de estações e de quilómetros acrescentados, adiantou o presidente da Metro do Porto.

Sobre o contencioso com a Transdev, que ganhou a concessão no anterior concurso, Jorge Moreno Delgado escusou-se a dar novidades, uma vez que o processo continua em tramitação.

Os números do ano passado da Metro do Porto ainda não estão fechados, mas o presidente adianta um EBITDA positivo de 13 milhões de euros e uma taxa de cobertura global de 96% (percentagem de cobertura dos custos operacionais e de estrutura pelas receitas operacionais). Em 2016, o Metro do Porto transportou 58 milhões de passageiros, mais 0,4%, ou 600 mil passageiros, que no ano anterior.

 

Comments are closed.