As negociações entre o governo de Cabo Verde e o grupo francês Bolloré para a subconcessão de quatro portos do arquipélago deverão ficar concluídas até ao final do mês, avança o “Expresso das Ilhas”.

Cabo Verde

Tal como o TRANSPORTES & NEGÓCIOS noticiou em primeira mão, o grupo francês foi o único interessado que não desistiu do concurso internacional lançado pelo governo de Cabo Verde para a entrega em regime de subconcessão dos portos da Praia, Porto Grande (São Vicente), Sal-Rei (Boavista) e Palmeira (Sal). O Grupo ETE foi também convidado a participar mas não formalizou qualquer proposta.

De acordo com o “Expresso das Ilhas”, as duas partes já terão acordado as condições financeiras da subconcessão, mantendo-se em aberto questões relacionadas com aspectos técnicos, principalmente as que têm a ver com os investimentos a serem feitos, o tráfego marítimo, a internacionalização dos portos cabo-verdianos e os contratos dos trabalhadores.

O contrato a ser eventualmente assinado terá um prazo mínimo de 20 anos, renovável por mais 10, tendo a concessionária Enapor recebido autorização para subconcessionar os portos através de uma Resolução publicada no Boletim Oficial no passado dia 3 do corrente.

O grupo Bolloré explora em África terminais de contentores na Costa do Marfim, República Centro Africana, Benim, Congo, Guiné Conacri, Senegal, Camarões, Serra Leoa e Líbia e está a desenvolver o mesmo negócio nas Comores, Gana, Gabão, Benim, Nigéria e Togo.

Recentemente, o grupo Bolloré foi também o escolhido pelo governo de Timor-Leste para construir e operar o novo porto que servirá a capital Díli.

 

Comments are closed.