O governo de Moçambique já escolheu quem construirá o novo porto de águas profundas de Techobanine, a 70 quilómetros de Maputo e a 20 da fronteira com a África do Sul.

O anúncio foi feito pelo primeiro ministro moçambicano, que se escusou a citar o vencedor. A obra, a realizar em regime de concessão, deverá arrancar ainda este ano, de modo a que o novo porto esteja operacional já em 2015.

O projecto conjunto de Moçambique e do Botswana foi lançado em 2010. Além do porto propriamente dito prevê-se a criação de uma linha férrea com 1 100 quilómetros de extensão, através do Zimbabué, para permitir o escoamento de produtos (sobretudo minérios) do Botswana, Zimbabué, Suazilândia e África do Sul.

O complexo portuário deverá ocupar uma área de 30 mil hectares, incluindo aí uns 11 mil hectares para a criação de um pólo industrial. A capacidade de movimentação de cargas do porto deverá rondar os 100 milhões de toneladas/ano.

O investimento global previsto atinge os sete mil milhões de dólares (três mil milhões só no complexo portuário).

Comments are closed.