As administrações portuárias de Leixões, Aveiro, Lisboa, Setúbal e Sines receberam das concessionárias 37,99 milhões de euros no primeiro semestre, mais 8% que na primeira metade de 2016, revela o boletim trimestral da Unidade Técnica de Acompanhamento de Projectos (UTAP), hoje divulgado.

PortodeSines-TGL

A administração do porto de Leixões encaixou 14,5 milhões de euros, menos 3% que no período homólogo de 2016, mas ainda assim o valor mais elevado entre os portos.

Em Lisboa, fruto do fim das greves e, logo, do aumento da actividade, as verbas entregues pelas concessionárias à APL subiram 26% em termos homólogos e superaram os 9,3 milhões de euros.

Também devido ao forte aumento da movimentação de cargas (ainda que as verbas pagas pelas concessionárias não dependam exclusivamente disso, como sublinha a UTAP), em Sines a administração portuária recebeu 10,7 milhões de euros, mais 16% do que há um ano.

Em Setúbal, as concessionárias entregaram administração portuária menos 4% do que há um – apenas 3,2 milhões de euros -; e o mesmo aconteceu em Aveiro, onde se verificou uma quebra de 2% para 260 mil euros.

Yilport Leixões paga 24% do total

A Terminal de Contentores de Leixões, que detém a movimentação de contentores no porto nortenho e que agora se apresenta como Yilport Leixões, é, de muito longe, a concessionária que mais verbas entrega à respectiva administração portuária. Entre Janeiro e Junho fora, 8,97 milhões de euros, 24% do total nacional, e ainda 5% menos do que há um ano.

No ranking das concessionárias que mais “rendem” às administrações portuárias segue-se a Petrogal, que opera o terminal de granéis líquidos de Sines, que entregou 4,2 milhões de euros.

Encerram o pódio, ex-aequo, a PSA Sines, concessionária do Terminal XXI, e a  a Sotagus, do Terminal de Contentores de Santa Apolónia, em Lisboa, ambos tendo entregue 3,6 milhões de euros (mais 24 mil euros a PSA).

 

Comments are closed.