O primeiro operador privado de Alta Velocidade espanhol poderá arrancar a 5 de Outubro… assim consiga aluguer os comboios à Renfe.

Concorrência dá luz verde a operador privado de AV em Espanha

A autoridade da Concorrência (CNMC) de Espanha aceitou a pretensão da ILSA (empresa controlada pelos donos da Air Nostrum) de operar um serviço ferroviário de Alta Velocidade entre Madrid e Montpellier, em França. Apesar da oposição da operadora pública Renfe, que assim passará a ter concorrência.

Para que o novo player inicie as operações falte agora que a Renfe Aluguer aceite ceder os necessários comboios da série S100 da Alstom. A Renfe sustenta, porém, que tais composições não estão homologadas para circularem em Espanha. A ILSA já terá pedido a intervenção da CNMC.

A candidatura do novo operador foi apresentada há mais de um ano. A ILSA propõe-se ligar, duas vezes por dia, a capital espanhol a Montpellier, com paragens intermédias em Saragoça, Barcelona, Perpignan e Narbonne. A viagem será mais rápida e mais barata que a oferecida pela Renfe, promete.

A intenção privada é criticada pela operadora pública, que sustenta que o serviço promovido não é mais do que um serviço nacional (entre Madrid e Barcelona) travestido de serviço internacional. Acontece que os serviços internacionais já estão liberalizados, enquanto os nacionais não. A Renfe sustenta que não há passageiros internacionais que sustentem a ligação.

A CNMC definiu em tempo os critérios mínimos para a exploração de serviços privados, impondo, nomeadamente, que 30% dos passageiros sejam internacionais e que 20% do percurso seja feito fora de Espanha. A ILSA prevê que no próximo ano 36% dos seus passageiros sejam internacionais.

A Concorrência espanhola justifica a aceitação da pretensão do operador privado com o aumento da oferta e da concorrência (com preços mais baixos) no mercado.

Resta agora esperar para ver quando é que a ILSA terá comboios para operar.

 

Comments are closed.