A Autoridade da Concorrência italiana multou 19 companhias transitárias num montante global de 78 milhões de euros. A associação do sector foi igualmente visada.

Em causa está uma alegada concertação de preços entre empresas italianas e internacionais, que terá motivado uma alta artificial dos preços dos serviços na ordem dos 50%.

Entre as empresas punidas contam-se a DHL Express, a Gefco, a Geodis Wilson e a Agility. A DB Schenker terá estado também envolvida no esquema mas beneficiou do facto de ter colaborado com as investigações.

A companhia italiana Saima foi a mais penalizada, devendo pagar uma multa de 23,6 milhões de euros. A também italiana Italsempione foi condenada em 12,4 milhões e a Geodis Wilson em 12 milhões. A DHL Express terá de pagar 6,6 milhões e a Gefco 3,1 milhões.

A federação italiana das empresas transitárias, a Fedespedi, foi igualmente condenada, em cerca de 103 mil euros. Já manifestou a intenção de recorrer da decisão.

Os factos agora dados como provados e punidos terão ocorrido entre 2002 e 2007.

Comments are closed.