O concurso para a exploração do ferry entre a Madeira e o Continente foi prolongado por 45 dias, até 18 de Dezembro, anunciou o Governo Regional da Madeira.

Naviera Armas - Madeira

A nota divulgada pela assessoria da imprensa não adianta os motivos do adiamento. O TRANSPORTES & NEGÓCIOS inquiriu a propósito os serviços do Executivo madeirense, mas não obteve resposta em tempo útil.

O concurso foi lançado em Agosto passado, com um prazo de 70 dias para a apresentação de propostas.

Na nota hoje divulgada, o Governo Regional lembra que o armador que vencer o concurso público internacional ficará com “o direito exclusivo de exploração desta nova linha marítima com uma periodicidade semanal, correspondendo a 52 viagens por ano em cada sentido, destinada ao transportes de passageiros e passageiros acompanhados de veículos, podendo o armador transportar também carga rodada”.

“O armador seleccionado terá como contrapartidas da Região Autónoma da Madeira uma compensação que pode chegar aos 3 milhões de euros por ano e beneficiará ainda das taxas portuárias reduzidas, recentemente aprovadas para o Porto do Funchal”, acrescenta a nota.

A concessão será feita por um período inicial de três anos.

O único critério para a escolha do operador é a “proposta economicamente mais vantajosa” para a região autónoma.

Em Agosto, o Governo Regional assumia a intenção de ter o serviço a funcionar no primeiro trimestre de 2018. Um objectivo que poderá estar comprometido com o adiamento agora anunciado.

 

Comments are closed.