Os operadores de terminais de contentores terão de recuperar os seus planos de expansão para fazerem face ao projectado aumento do tráfego de contentores, alerta a Drewry.

Entre 2009 e 2015, o tráfego mundial de contentores deverá aumentar cerca de 50%, passando de 473 milhões para 718 milhões de TEU.

No mesmo período, a capacidade instalada dos terminais de contentores deverá crescer uns 143 milhões de TEU, ou 20%, prevê a Drewry Consultants.

A diferença de ritmos de crescimento fará com que, a prazo, os terminais de contentores enfrentem o risco de saturação, com prejuízos para toda a cadeia logística. A menos que sejam feitos novos investimentos na expansão da capacidade.

A Drewry prevê que em 2015, e em média, os terminais de contentores estarão a trabalhar a 80% da sua capacidade total. Mas em algumas regiões, como no Médio Oriente e no Extremo Oriente, poder-se-á estar então já sobre os 95%, avisa a consultora.

No ano passado, e pela primeira vez na história da indústria, o movimento mundial de contentores retraiu-se, consequência da crise económica e financeira global. Em linha, os operadores de terminais adiaram ou suspenderam os planos de expansão. Mas agora a recuperação está a acontecer a um ritmo muito rápido.

Por cá, em Sines a Sines está a investir na expansão do Terminal XXI e a administração portuária projecta mais um ou mesmo dois terminais de contentores. Em Lisboa, o plano de expansão do terminal da Liscont foi gorado, mas mantém-se a necessidade de expandir a capacidade. E em Leixões também há projectos para expandir a área operacional do TCL.

Os comentários estão encerrados.