O Governo aprovou ontem e enviou hoje para o Parlamento o Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030. Fique a conhecer os principais projectos.

A proposta da PNI 2030 contempla investimentos de 22 mil milhões de euros. A maior parte destina-se à área dos transportes e da mobilidade. Em particular, o modo ferroviário recebe a maior fatia, dando seguimento ao Ferrovia 2020, ainda em execução (atrasada).

Sem o assumir, o Executivo aposta na duplicação faseada da Linha do Norte (algo já proposto em tempos idos pelo então ministro António Mexia), com a construção de variantes aos troços mais saturados preparadas para a circulação de comboios a 250 km/hora (Alta Velocidade).

Mas os investimentos não se ficam por aqui, como se pode constatar pela lista, extensa mas não exaustiva, que aqui se deixa:

Ferrovia

  • Quadruplicação da Linha do Norte: 1.500 milhões de euros
  • Programa de Segurança Ferroviária, Renovação e Reabilitação e Redução de Ruído:
    375 milhões de euros
  • Programa de Implementação do ERTMS/ETCS + GSM-R: 270 milhões de euros
  • Programa de Eletrificação da RFN (Linhas do Oeste e Douro): 205 milhões de euros
  • Ligação da Linha de Cascais à Linha de Cintura: 200 milhões de euros
  • Programa de gestão de ciclo de vida e desenvolvimento de soluções de telemática
    ferroviária, melhoria de estações e interfaces de passageiros e medidas de
    segurança ferroviária-operação: 165 milhões de euros
  • Programa de aumento de capacidade nas áreas metropolitanas (Linha do Minho,
    Linha de Cintura): 155 milhões de euros
  • Corredor Internacional Sul: Nova ligação Sines/Grândola — Via Única: 120
    milhões de euros
  • Projecto de Modernização da Ligação Lisboa-Algarve: 100 milhões de euros
  • Programa de melhoria de terminais multimodais incluindo a sua acessibilidade
    ferroviária: 105 milhões de euros
  • Projecto de Modernização da Linha do Alentejo: 90 milhões de euros
  • Projecto de Requalificação do troço Espinho-Oliveira de Azeméis da Linha do
    Vouga: 75 milhões de euros
  • Corredor Internacional Norte: Nova ligação Aveiro/Mangualde: 650 milhões de
    euros

Rodovia

  • Programa de Segurança Rodoviária, Renovação e Reabilitação e Redução de Ruído
    (IC8 – Casas Brancas (A17)/Pombal (Nó da A1): 500 milhões de euros
  • Programa de Construção de ‘Missing´Links’ 260 milhões de euros. Inclui a
    variante à EN14 – Maia/Famalicão (PETI3+): Via Diagonal -Santana, incluindo
    Ponte S/ Ave; Via do Tâmega –Troço Corgo/A7; IC9 – A23/Ponte de Sôr e IC13
    -P.Sôr-/ Alter Chão / Portalegre; IC35 – Penafiel/Entre-os-Rios; IC 11 —
    Peniche-Carregado (1.ª fase)
  • Programa Arco Ribeirinho Sul, Ligação à A2: 200 milhões de euros
  • Programa de alargamentos/aumentos de capacidade: 195 milhões de euros para
    variantes Urbanas na EN125, reformulação dos nós da VCI e noIC2/EN1 o aumento de
    capacidade em Alenquer, Condeixa e Leiria
  • IP8 Sines -Beja: 130 milhões de euros
  • Programa de Apoio à Inovação e Eficiência na Rede Rodoviária: 100 milhões de euros
  • Programa de Valorização das Áreas Empresariais (PVAE) – Fase II: 110 milhões de euros
  • Programa de Coesão Territorial: 80 milhões de euros (ligação ao IP3 dos
    concelhos localizados no corredor sul; IC31 – Castelo Branco/Monfortinho)

Rodovia/Ferrovia

  • Programa de Conectividade Rodoviária e Ferroviária Transfronteiriça: 200 milhões
    de euros.
  • Programa de acessos rodo e ferroviários aos aeroportos nacionais: 130 milhões de
    euros
  • Programa de adaptação de infraestruturas de transportes às alterações
    climáticas: 75 milhões de euros

Mobilidade e Transportes Públicos

  • Metro do Porto: 620 milhões de euros
  • Metro de Lisboa: 445 milhões de euros
  • Descarbonização da Logística Urbana: 450 milhões de euros
  • Promoção da Mobilidade Eléctrica: 360 milhões de euros
  • Promoção da Rede Nacional de Interconexão Ciclável: 300 milhões de euros
  • Promoção da Multimodalidade Urbana: 200 milhões de euros

Aeroportos

  • Expansão do Aeroporto de Lisboa (2ª fase, a 1ª será realizada até 2022): 507 milhões de euros
  • Outros investimentos (ANA): 200 milhões de euros

Portos

  • Porto de Sines: 940 milhões de euros
  • Porto de Lisboa: 665 milhões de euros
  • Porto de Leixões: 379 milhões de euros
  • Porto de Setúbal: 124 milhões de euros
  • Porto de Aveiro: 113 milhões de euros
  • Via Navegável do Douro: 102 milhões de euros
  • Programa de investimentos ‘não core’: 90 milhões de euros

 

Tags:

Comments are closed.