A construção do porto de águas profundas de Macuse, na costa da Zambézia, Moçambique, deverão iniciar-se em 2016, afirmou o presidente do Corredor de Desenvolvimento Integrado do Zambeze (CODIZA).

Moçambique - Carvão

O concurso para a realização dos trabalhos poderá ser lançado ainda este ano, acrescentou Abdul Carimo, citado pelo boletim do município da cidade de Quelimane.

O futuro porto de águas profundas terá capacidade para receber navios de 80 mil toneladas. No início, servirá para receber os materiais necessários à construção da linha de caminho-de-ferro que ligará Macuse a Moatize, em Tete, e depois garantirá a exportação do carvão extraído nas minas daquela preovíncia moçambicana.

Projectado para movimentar 100 milhões de toneladas por ano quando concluído, numa primeira fase o porto terá uma capacidade de 25 milhões de toneladas/ano.

Em Abril passado, Abdul Carimo disse serem necessários quatro mil milhões de dólares para arrancar com o projecto do Corredor de Desenvolvimento Integrado do Zambeze (CODIZA). Na altura, Carimo sugeriu o envolvimento do consórcio indiano ICVL  (International Coal Ventures Limited), que possui interesses na área da exploração do carvão em Tete.

A futura linha de caminho-de-ferro prevista para o Corredor terá uma extensão de 525 quilómetros, ligará as províncias de Tete e Zambézia, e permitirá escoar 100 milhões de toneladas de carvão por ano.

Comments are closed.