Não foi uma mentira do 1.º de Abril mas um erro da AMT. Afinal, o movimento de contentores nos portos nacionais nos dois primeiros meses do an0 cresceu 1% e atingiu um máximo de mais de 385 mil TEU.

Leixões - TCL

Nos dois primeiros meses do ano, os portos do Continente movimentaram 385 631 TEU, um máximo histórico e que representa uma subida homóloga de 1% (e não uma quebra de 1,7% como inicialmente anunciado”. Em Fevereiro contaram-se 189 580 (mais 4,9%).

No balanço dos dois meses, Setúbal (dado como tendo perdido 28,9% foi o porto que mais cresceu em termos percentuais: 34,5% até aos 22 516 TEU.

A outra dimensão, Leixões progrediu 6,7% e chegou aos 101 389 TEU, e Sines cresceu 4% para 198 788 TEU (dos quais, 157 mil em movimentos de transhipment, como sublinha a AMT).

A impedir uma melhor performance global, o porto de Lisboa acumulou uma perda homóloga de 20,1%, com apenas 60 275 TEU movimentados. Em Fevereiro, o movimento na capital recuou ainda 11,7%. Na Figueira da Foz, o movimento de contentores, medido em TEU, caiu 22% nos dois primeiros meses, ficando-se pelos 2 662.

Com isto, Sines continua a garantir mais de metade – 51% – do total de contentores movimentados no Continente (uma situação que o peso de 79% do transhipment não diminuiu), contra 26,3% de Leixões, 15,6% de Lisboa e 5,8% de Setúbal.

Os comentários estão encerrados.