A movimentação de contentores em Leixões caiu 6,4% nos primeiros nove meses do ano face ao período homólogo de 2014, avança a concessionária TCL.

Leixões - TCL

Entre Janeiro e Setembro, o porto nortenho movimentou 459 767 TEU, total que compara com os 491 373 TEU de há um ano. Mas então ainda se estava numa fase de forte crescimento. O abrandamento começaria no último trimestre.

Considerando o número de contentores processados, o recuo em termos homólogos é ainda um pouco maior e chega aos 7,2%.

A concessionária insiste em que a principal – para não dizer única – explicação para a quebra dos volumes movimentados é a contracção do mercado angolano, com uma baixa no envio de contentores cheios e, mais ainda, na recolocação de contentores vazios.

E, de facto, os números da APDL, acumulados a Agosto, parecem confirmar essa justificação: a movimentação de contentores cheios recuou 4% enquanto nos vazios a quebra chegou aos 13%.

Em Setembro, o terminal de contentores de Leixões movimentou 48 002 TEU, o que representou uma quebra homóloga de 12,4%. Foi um dos resultados mensais mais desnivelados do ano.

O TCL é o maior terminal de contentores da Tertir, a holding que a Mota-Engil anunciou há dias ir vender aos turcos do Yildirim Group.

 

 

 

 

Comments are closed.