Entre Janeiro e Novembro, os portos do Continente movimentaram quase 2,8 milhões de TEU. Dezembro poderá acabar no recorde dos três milhões.

A movimentação de contentores cresceu 11% nos primeiros 11 meses do ano, à custa de Sines e Lisboa. O porto alentejano processou 1,6 milhões de TEU (+14,3% em termos homólogos), alavancado pelos tráfegos de transhipment (quase 80% do total). Já o porto da capital avançou (ou será melhor dizer recuperou…) 29,6% até aos 456 mil TEU.

Em parte por causa da recuperação de Lisboa, Leixões recuou 3,5% e somou cerca de 585 mil TEU, e Setúbal cedeu 2,3% para 141 mil TEU. “Descontado” o efeito das greves na capital, ou comparando com 2015, ambos os portos estariam a ganhar, como sublinha a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) no seu relatório.

Pela Figueira da Foz passaram 22 mil TEU até ao final de Novembro, menos 4,3% que há um ano.

Em Novembro, o tráfego de contentores nos portos continentais recuou 11,1%, com 235 mil TEU. Leixões ganhou 7,4%. Todos os demais estiveram negativos: Sines (18,1%), Lisboa (10,7%), Setúbal (3,1%) e Figueira da Foz (36,5%).

Se as coisas tiverem corrido de feição em Dezembro, os portos do Continente poderão ter atingido, pela primeira vez, a marca dos três milhões de TEU movimentados.

Comments are closed.