Leixões destronou Lisboa como primeiro porto nacional no movimento de contentores. Mas Sines está cada vez mais perto. Setúbal mais do que duplicou os seus números no primeiro trimestre.

Ao arrepio da quebra do movimento total de mercadorias, os portos nacionais registaram uma subida de 16,5% na movimentação de contentores, medida em TEU, no primeiro trimestre do ano. Contabilizaram-se 387 134 TEU, contra 332 349 há um ano.

Leixões cresceu o dobro de Lisboa e com isso destronou o porto da capital do primeiro lugar neste ranking particular. Em Leixões foram movimentados 124 124 TEU até ao final de Março, mais 8,3% que no período homólogo de 2010, ao passo que Lisboa avançou 4,3% para os 123 326 TEU.

Mais, muito mais, mesmo partindo de uma base mais pequena, cresceu Sines e o seu Terminal XXI. Foram ali movimentados 112 182 TEU no primeiro trimestre, 46,6% acima do registado entre Janeiro e Março do ano passado. Uma performance muito forte que o facto de ali serem feitos também movimentos de transhipment não chega para diminuir.

A grande distância dos três grandes, o porto de Setúbal destaca-se nos resultados do primeiro trimestre por apresentar o maior crescimento homólogo. Entre Janeiro e Março passaram pelo porto do Sado 22 664 TEU, o que mais do que duplica (136,4%) os números de há um ano.

Em alta esteve ainda o movimento de contentores na Figueira da Foz, com um total de 4 760 TEU, uma subida homóloga de 60,7%.

Aveiro não registou movimento de contentores e em Viana do Castelo foram apenas 79 os TEU registados.

Em jeito de comparação, na vizinha Espanha, e de acordo com os dados preliminares da Puertos del Estado, o movimento de contentores no primeiro trimestre avançou 3,8% para a casa dos 2,97 milhões de TEU.

Comments are closed.