A Drewry voltou a rever em baixa as previsões de crescimento do transporte marítimo de contentores para 2019.

O outlook do crescimento do movimento de contentores em 2019 é agora de 2,6%, contra os 3% da anterior previsão. A primeira previsão da consultora para este ano era de um crescimento de 3,9%.

“O peso dos riscos a pressionarem o mercado de contentores parece estar a ficar mais pesado a cada dia que passa”, afirmou, citado pela assessoria de imprensa, Simon Heaney, director-chefe de pesquisa de contentores da Drewry e editor da Container Forecaster.

“A situação foi agravada por uma série de novos problemas que cobrem o mercado com mais camadas de preocupação e incerteza”, acrescentou.

Heaney explicou que, embora as estatísticas dos portos no primeiro semestre “tenham sido razoavelmente fortes e a procura do mercado tenha sido bastante resiliente”, alguns indicadores-chave “sofreram um declínio acentuado”, o que influenciou as previsões da consultora.

Recorde-se que, em Julho, o FMI reduziu a previsão de crescimento do comércio mundial de bens e serviços em nove pontos percentuais, para 2,5%, alertando que o crescimento global permaneceu “moderado”, citando as consequências da guerra comercial EUA/China, tensões geopolíticas e incerteza crescentes sobre os preços da energia.

Este cenário de revisões em baixa surge numa altura em que as companhias se preparam para as novas regras de 0,5% de teor de enxofre no combustível, que a IMO colocará em vigor a partir de Janeiro. A Drewry prevê custos adicionais de dez mil milhões de euros, sendo que parte dessa despesa será “imputada” às companhias ainda no último trimestre de 2019.

Comments are closed.