O porto de Lisboa movimentou em Outubro cerca de 781 mil toneladas. Há um ano foram um milhão. Nos contentores, a actividade caiu para pouco mais de metade.

A cada mês que passa, agrava-se a situação do porto da capital, à conta das greves. Os ganhos conseguidos nos primeiros meses do ano já se esfumaram e apenas servem para atenuar as perdas dos números acumulados.

Em Outubro, Lisboa processou cerca de 781 mil toneladas, menos 22% do que no mês homólogo do ano passado. Os granéis sólidos até cresceram muito ligeiramente, de 323 mil para 332 mil toneladas, mas tudo o mais esteve no vermelho. A carga contentorizada foi a mais castigada, com uma quebra de 38%, ou 190 mil toneladas.

Considerando a movimentação de contentores, os números de Outubro são ainda mais negros. No total, foram processados apenas 29 768 TEU, quando há um ano haviam sido 50 823. Um afundanço de 41% que no caso do terminal de Alcântara chegou muito perto dos 54%.

E no entanto, em termos acumulados, o terminal da Liscont ainda apresenta um saldo positivo, em termos homólogos, com um total de 211 300 TEU este ano (contra 203 815 nos primeiros dez meses de 2011).

Entre Janeiro e Outubro, Lisboa movimentou perto de 9,8 milhões de toneladas, contra 1,03 milhões há um ano. A carga contentorizada vale 5,4 milhões (4,6 milhões), os granéis sólidos 3,6 milhões (3,8 milhões), os granéis líquidos 1,5 milhões (1,6 milhões) e a carga geral fraccionada 115 mil toneladas (199 mil).

Comments are closed.