A colocação de uma barreira de contentores é a solução escolhida para conter as poeiras geradas pela movimentação de estilha e sucata no porto de Leixões.

Os contentores serão colocados na doca Sul do porto, paredes meias com a malha urbana de Matosinhos, onde surgiram as críticas dos moradores. No topo haverá um “pára-vento” metálico que reforçará a protecção. E os montes de aparas de madeira permanecerão tapados por uma rede têxtil sempre que não estejam a ser movimentados.

A opção pela colocação de uma barreira de contentores foi consensualizada entre a APDL e a Câmara de Matosinhos e terá levado em conta um parecer da Universidade de Aveiro, que terá alertado para o ruído que uma rede metálica (a outra hipótese que chegou a ser anunciada) poderia produzir em dias ventosos.

Os contentores serão decorados e ficarão dispostos de modo a não provocarem a sensação de um muro que isole o porto da cidade e dos transeuntes.

A obra de isolamento da zona de movimentação e armazenamento da estilha e da sucata deverá prolongar-se por três meses e tem um custo estimado em cerca de 400 mil euros, a ser suportado pela APDL.

Os comentários estão encerrados.