O movimento de mercadorias nos portos espanhóis superou no ano passado os 495 milhões de toneladas (mais 1,4% em termos homólogos). A Puertos del Estado anuncia a quebra da barreira dos 500 milhões (incluindo os abastecimentos aos navios e outros).

Maersk-Mckinney-Algeciras

O crescimento da actividade foi garantido exclusivamente pela carga geral, e muito em particular pela carga geral contentorizada, que cresceu 5,7% e atingiu os 168,4 milhões de toneladas, tornando-se o segmento mais importante. A carga geral fraccionada aumentou 3,6% para 67,5 milhões de toneladas.

Ao invés, os granéis perderam terreno: 0,17% os líquidos, para 167,8 milhões de toneladas; 4,4% os sólidos, para 91,8 milhões de toneladas.

O porto da Baís de Algeciras confirmou a sua posição de número um no sistema portuário espanhol, com 102,9 milhões de toneladas (mais 4,7%). Atrás dele mantiveram-se Valência (71,3 milhões de toneladas, mais 1,7%) e Barcelona (48,8 milhões de toneladas, mais 3,8%).

O porto de Alicante destacou-se como o que mais cresceu face a 2015: 32,6% até aos 3,5 milhões de toneladas. Já Gijon e Santandar estiveram nos antípodas, a perder 13%, para 18,4 e 4,9 milhões de toneladas, respectivamente.

Barcelona em destaque nos contentores

O movimento de contentores nos portos espanhóis cresceu 5,5% e superou os cinco milhões de TEU. Algeciras liderou mas Barcelona destacou-se com um crescimento a dois dígitos.

No total, os portos do país vizinho movimentaram 15 080 009 TEU movimentados. Algeciras cresceu 5,4%, em linha com o mercado, e atingiu os 4 759 571 TEU. O suficiente para destronar Valência do primeiro lugar. O agora segundo no ranking cresceu apenas 2,3% e ficou-se pelos 4 722 273 TEU.

No terceiro lugar manteve-se Barcelona. Mas o porto da cidade condal destacou-se a crescer 13,9%, com isso chegando aos 2 337 818 TEU.

Atrás de Barcelona (e de Sines, à escala ibérica) situou-se Las Palmas, com 916 597 TEU movimentados, mais 1,7% que o realizado em 2015.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.