Os portos do Norte da Europa – Zeebrugge, Antuérpia, Roterdão, Bremen/Bemerhaven e Hamburgo – deverão registar este ano uma quebra de 2,3% na movimentação de contentores, prevê o “Global Port Tracker: North Europe Trade Outlook”, elaborado pela consultora Hackett Associates, com o apoio do Instituto de Economia de Transporte e Logística de Bremerhaven.

Zeebrugge - Container Handling Zeebrugge

O recuo deverá ser particularmente sentido no primeiro semestre, para quando os analistas esperam uma perda de movimentos de 5,2%, na comparação com a primeira metade de 2015.

O “Outlook” aponta, para a totalidade do ano que agora se inicia, uma redução de 4,4% nos contentores entrados naqueles portos, e para um recuo de 3,3% nas saídas, dai resultando uma perda total de 2,3% face a 2015.

Entre os seis portos considerados, a Hackett Associates refere que “apenas Antuérpia teve um ano [de 2015] positivo e poderá manter-se forte em 2016”.

Explicações para a quebra da movimentação de contentores nos portos do Norte da Europa:  o arrefecimento das trocas comerciais entre a Europa e a Ásia, o, impacte das sanções económicas da UE à Rússia, o excesso de oferta de capacidade relativamente à procura de transportes, a tentativa dos operadores de optimizarem as escalas,…

Os comentários estão encerrados.