A Comissão de Serviços Financeiros (CSF) da Coreia do Sul considera que os três maiores estaleiros do país – Hyundai Heavy Industries (HHI), Samsung Heavy Industries (SHI) e Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering (DSME) – não estão em posição de se fusionarem. O facto de estarem a passar por rigorosos programas de reestruturação é uma das razões apontadas pela CSF.

samsung-heavy-industries

O presidente da entidade, Yim Jong-yong, indicou à comunicação social sul-coreana que “aquelas três grandes companhias estão sob reestruturação e um potencial grande negócio irá prejudicar todas”. O responsável pela CSF indicou que uma condição prévia para um grande acordo é todas as companhias completarem a reestruturação e sobreviverem isoladamente. “Porém, não estão nessa condição”, avisa Yim Jong-yong.

O presidente da CSF acrescentou que ter três grandes estaleiros isolados permitirá à Coreia do Sul manter o estatuto de potência mundial do sector. Yim Jong-yong salientou que é importante conseguir salvar a periclitante DSME. A CSF prevê que o sector mundial de construção naval recupere em 2018 e que os estaleiros devem aguentar-se até à retoma.

As previsões avançadas pela Clarksons Research, em Setembro, apontam que o número mundial das encomendas de navios irá passar de 586, em 2016, para 1 322, em 2018. Além disso, também as medidas da IMO relativas à redução para 0,5% do teor de enxofre no combustível, anunciadas para 2020, poderão ser um estímulo à encomenda de novos navios pelos armadores.

“As encomendas começarão a crescer na segunda metade de 2017”, prevê o presidente da CSF.

 

 

Comments are closed.