O porto grego do Pireu destaca-se nos resultados semestrais da COSCO Shipping Ports, em termos de volumes e de resultados alcançados.

Apesar da “guerra comercial” entre a China e os EUA, a COSCO Shipping Ports encerrou os primeiros seis meses de 2019 com mais volumes, mais receitas e mais lucris e receitas. Destacou-se o porto do Pireu.

Os volumes movimentados pela COSCO Shipping Ports de Janeiro a Junho ascenderam a 59,8 milhões de TEU, mais 5,4% do que os 56,7 milhões de TEU registados um ano antes.

No que se refere aos terminais em que o grupo tem participação accionista maioritária, aumentou 14,6%, para 12,4 milhões de TEU.  Já nos terminais em que a COSCO não detém posição maioritária a produção aumentou 3,2%, para 47,3 milhões de TEU.

No Pireu, controlado pela COSCO, o movimento de contentores atingiu os 2,67 milhões de TEU, mais 23,8%, ou cerca de 500 mil TEU, que no primeiro semestre de 2018. Um sucesso devido ao aumento das escalas da THE Alliance e da Ocean Alliance, refere o grupo chinês.

Em termos de receitas, a COSCO Shipping Ports reportou um aumento de 4,5% na primeira metade de 2019. A facturação do grupo asiático ascendeu a 517,9 milhões de dólares, entre Janeiro e Junho, contra 495,5 milhões  registados no período homólogo de 2018. O lucro subiu para 162,5 milhões de dólares, o que compara com 94,9 milhões (85,7 milhões de euros) há um ano.

De novo, o porto do Pireu marcou o ritmo com um aumento de 11,7% nos lucros até aos 15,2 milhões de dólares.

Optimismo cauteloso

Dadas as incertezas macroeconómicas, o grupo chinês afirma-se “cautelosamente optimista” para a totalidade de 2019, esperando um crescimento de um dígito dos volumes.

Além disso, a COSCO Shipping Ports indica que continuará comprometida com a construção de sua rede global de terminais e com a busca de oportunidades para adquirir terminais fora da China.

 

Comments are closed.