A CNH Industrial adiou a entrada em Bolsa da Iveco, por causa da deterioração das condições de mercado pela Covid-19, anunciou.

O grupo italiano, controlado pela família Agnelli, pretendia realizar no início de 2021 a cisão e levar para a Bolsa a Iveco, que concentraria os negócios de produção de camiões, autocarros e motores. A operação fica adiada sem nova data.

A CNH Industrial anunciou há dias os seus resultados trimestrais, com prejuízos de 54 milhões de dólares, que comparam com os lucros de 264 milhões do período homólogo de 2019.

As perspectivas para o segundo trimestre não são mais favoráveis, devido à pandemia de Covid-19 que afectou todos os mercados e geografias onde o grupo opera. Algumas melhoras são, todavia, esperadas para o segundo semestre.

Em Março, a CNH Industrial retirou o seu outlook para o corrente exercício.

Além da Iveco, a CNH Industrial actua no mercado de maquinaria agrícola e equipamentos de construção.

 

Comments are closed.