Os governos devem adoptar medidas que facilitem o transporte de carga aérea, essencial para continuar a salvar vidas, defende a IATA.

A associação das companhias aéreas destaca que o transporte aéreo é essencial para a entrega de bens de primeira necessidade nos períodos de quarentena e de distanciamento social impostos pela pandemia de Covid-19, pelo avança cinco pedidos/medidas às autoridades em favor da carga aérea.

A primeira medida é excluir as operações de carga aérea das restrições de viagem relacionadas com a Covid-19, para garantir que os produtos médicos que salvam vidas possam ser transportados sem interrupção.

A segunda medida passa por garantir a implementação de regras e procedimentos padronizados, para que a carga aérea possa movimentar-se pelo mundo com interrupções mínimas.

O terceiro pedido da IATA é que se isentem dos requisitos de quarentena de 14 dias o pessoal das tripulações de voos de carga aérea, pois estes não interagem com o público.

A quarta medida solicitada é o apoio aos direitos de tráfego temporário para operações de carga onde possam ser aplicadas restrições.

A quinta e última medida é a eliminação de obstáculos económicos, como cobranças de sobrevoo, taxas de estacionamento e restrições de slots para apoiar as operações do transporte aéreo de carga durante os presentes tempos sem precedentes.

“As companhias de carga aérea estão a trabalhar com governos e organizações de saúde de todo o mundo para proteger a saúde pública e, ao mesmo tempo, manter a economia global em movimento. Hoje, enquanto combatemos globalmente a Covid-19, os governos devem tomar medidas urgentes para facilitar o transporte aéreo de carga. Manter o fluxo de carga salvará vidas”, indica, citado em comunicado, Alexandre de Juniac, director-geral e CEO da IATA.

“Mais de 185 mil voos de passageiros foram cancelados desde o final de Janeiro, devido às restrições de viagens de vários governos. Com isso, uma capacidade de carga fundamental desapareceu precisamente agora quando é mais urgente na luta contra a Covid-19. A frota mundial de aviões de carga foi mobilizada para compensar esse défice de capacidade. Os governos devem tomar medidas urgentes para garantir que as linhas vitais de abastecimento permaneçam abertas, eficientes e eficazes”, salienta de Juniac.

 

 

 

Tags:

Comments are closed.