Nem em Alta Velocidade, nem devagarinho. A partir de domingo, o Porto e Vigo, na Galiza, deixarão de ter ligação ferroviária. Por causa dos prejuízos e da necessidade de conter custos, justifica a CP.

A operadora ferroviária manterá as duas ligações diárias, em ambos os sentidos, previstos no horário actual, mas apenas cumprirá o percurso entre Porto-Campanhã e Valença. De fora ficarão, assim, os cerca de 40 quilómetros que separam a fronteira da cidade galega.

Actualmente os comboios da CP demoram 3h19 (se o horário for cumprido) a ligar o Porto e Vigo. Demasiado tempo para fazer um percurso de pouco mais de 150 quilómetros. Até à fronteira são cerca de 2h20.

A associação de utentes Comboios XXI já criticou a decisão da empresa publica, lembrando nomeadamente a ainda recente introdução de portagens na A28 e também o facto de na Galiza se estar a investir fortemente na modernização da infra-estrutura e dos serviços ferroviários.

Recorde-se que o acordo do Governo de Portugal com a “troika” ditou a suspensão sine die do investimento na ligação de Alta Velocidade Porto-Vigo. Note-se também que no aeroporto do Porto os galegos já representam cerca de 10% dos mais de cinco milhões de passageiros movimentados anualmente.

Com o fim do Porto-Vigo, a oferta de serviços internacionais de passageiros da CP fica resumida ao Lusitânia Comboio Hotel (que liga Lisboa a Madrid) e ao Sud Expresso (que chega de Lisboa a Hendaia, com correspondência com o TGV até Paris).

Os comentários estão encerrados.