A renovação das automotoras que, a partir de sábado, operarão na Linha da Beira Baixa, implicou um investimento da CP na ordem dos 600 mil euros.

Serão três as automotoras eléctricas a substituir os comboios com tracção diesel que até agora asseguravam as ligações entre Lisboa e a Covilhã, avançou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS Ana Portela, a directora de Comunicação da CP.

As três unidades foram renovadas já este ano, disponibilizando agora, entre outras melhorias, tomadas para alimentação/carregamento de equipamentos portáteis nos lugares da 1.ª Classe, acrescentou

Antes da sua renovação, as três automotoras foram utilizadas pela operadora ferroviária, nomeadamente na Linha de Sinta.

Capazes de circular a uma velocidade de 120 km/hora, as novas composições oferecem 189 lugares, sensivelmente os mesmos (192) que os Intercidades que ligam ainda Lisboa e a Covilhã. Nos últimos dois anos, a média de passageiros por comboio situou-se nos 128, referiu ainda Ana Portela.

As obras de electrificação da Linha da Beira Baixa até à Covilhã foram concluídas no final de Julho. Com a passagem da tracção diesel para a tracção eléctrica, a CP prevê reduzir os custos operacionais em mais de 1,5 milhões de euros/ano.

Sem comboios manter-se-á o troço final da linha, entre a Covilhã e a Guarda. A circulação foi suspensa em 1999.

Comments are closed.