Os navios de cruzeiros vão deixar de queimar combustível enquanto estiverem fundeados no porto de Lisboa, anunciou o vereador do Ambiente da capital.

“Conseguimos chegar anteontem [quarta-feira] a acordo com o Porto de Lisboa para que os cruzeiros, a partir de 2022, não usem gasóleo quando atracam em Lisboa. Portanto, que haja electrificação do porto para não haver poluição atmosférica”, disse José Sá Fernandes.

A poluição provocada pelos navios de cruzeiro tem sido alvo de críticas de ambientalistas e não só. Facto é que os navios, mesmo atracados, precisam de continuar a consumir combustível para manterem em funcionamento todos os sistemas de segurança e conforto de verdadeiras cidades flutuantes.

A alternativa é o recurso aos sistemas “ship to shore”, que permitem o abastecimento dos navios em energia eléctrica a partir de terra. O que implica investimentos dos portos e também que os navios estejam devidamente equipados para serem conectados.

No caso de Lisboa, recorde-se que a Transtejo lançou no início do ano um concurso para a compra de dez navios eléctricos, o que implicará a existência de pontos de carregamento das embarcações, daí sendo possíveis algumas sinergias de investimentos. As entregas estão previstas para entre 2022 e 2024.

This article has 2 comments

  1. Helder Almeida

    Os navios geralmente estão preparados para receber energia de terra. Por exemplo, quando vão a docas secas normalmente param todos os geradores e o estaleiro fornece a energia.

  2. Infelizmente mantêm as chaminés ao ralenti todos grandes portos de cruzeiros ainda apresentam maiores valores de poluição atmosférica muito superiores aos portos de mercadorias cuja rotação muito mais rápida que os transatlânticos com 2,3 até 5 mil pessoas e até pernoitam !!