No ano passado, os passageiros de cruzeiros em turnaround em Lisboa cresceram 17%, aumentando o impacto económico na capital, sublinha a administração portuária.

Em 2019, o número de passageiros de cruzeiros em Lisboa recuou 1%, face a 2018, de 577 603 para 571 259, mas os passageiros em turnaround cresceram, de 62 089 para 72 830, refere a APL, em comunicado. Ou seja, cerca de 36  embarcaram e outros 31 mil desembarcaram na capital.

A propósito deste crescimento, a administração portuária destaca que os passageiros em turnaround tendem a gastar bastante mais em terra do que os passageiros em escala: 376 dólares contra 101 dólares, de acordo com o mais recente Outlook da CLIA, a associação mundial de operadores de navios de cruzeiro.

Além do impacto económico, e porque cada vez são mais as críticas e as preocupações com o impacto ambiental da actividade dos cruzeiros, a APL lembra os investimentos das companhias de cruzeiros em navios mais sustentáveis e o seu compromisso com a sustentabilidade actual da actividade, nomeadamente no relativo às emissões.

A propósito, avança o comunicado, o porto de Lisboa recebeu, no último ano, “18 navios em primeira escala, oito dos quais eram novos, ou seja, saídos de estaleiro durante o ano de 2019, e cinco deles em viagem inaugural”.

Comments are closed.