A chilena CSAV quer aumentar a sua participação na Hapag-Lloyd dos actuais 22,6% para pelo menos 25%, reforçando assim a sua posição de primeiro accionista da companhia alemã.

Hapag-Lloyd

O objectivo da CSAV é posicionar-se para influenciar as decisões estratégicas da Hapag-Lloyd – relativas a fusões, aquisições ou aumentos de capital, por exemplo – que requerem uma maioria de 75%.

Para financiar o reforço do investimento na Hapag-Lloyd, a CSAV vai realizar um aumento de capital com o qual espera encaixar 280 milhões de dólares.

A CSAV tornou-se a primeira accionista da companhia germânica em resultado da fusão, por integração, do seu negócio de transporte marítimo de contentores na Hapag-Lloyd. O reforço da posição agora anunciado terá sido já acordado com os outros dois principais accionistas, Klaus Michael Kuehne (que detém 17,6%) e a Cidade de Hamburgo (com 14,9%).

Na sequência da fusão com a UASC, os antigos donos da companhia árabe, a Qatar Ihvestment Authority e o Public Investment Fund da Arábia Saudita, ficaram com 14,4% e 10,1% da Hapag-Lloyd, respectivamente.

Decorrente da fusão, a companhia germânica anunciou um aumento de capital (reservado aos accionistas) com o qual pretende encaixar 414 milhões de dólares para reduzir o passivo.

Comments are closed.