O transporte ferroviário de mercadorias entre a China e a Europa é cada vez mais uma opção, por ser mais rápido que o marítimo e mais barato que o aéreo, sustenta a Dachser.

 

A operadora logística germânica acaba de reforçar a oferta de soluções entre os dois continentes com os Dachser Rail Services.

Na Europa, as operações de recolha/distribuição das mercadorias são asseguradas pela rede de 431 filiais, em 37 países. As cargas são consolidadas num dos quatro terminais ferroviários europeus – Duisburgo, Hamburgo, Varsóvia e Viena/Bratislava – e, aí, carregadas em contentores para posterior entrega ao operador ferroviário.

A viagem de  cerca de 11 mil quilómetros é feita, ou pela rota Norte (via transiberiana), cruzando a Bielorrússia e a Sibériam ou pelo Sul (Nova Rota de Seda) – atravessando países como Bielorrússia, Rússia e Cazaquistão.

Na China, a Dachser dá suporte ao serviço com a sua rede Air & Sea Logistics,  com 49 escritórios em 11 países na região do Pacífico Asiático.

A solução ferroviária promete uma poupança de até 12 dias no tempo de trânsito face à opção marítima. Além de ser ecologicamente mais favorável.

“As ligações ferroviárias são sempre uma excelente opção quando a conexão marítima ou aérea é demasiado lenta ou dispendiosa”, sintetiza, citado em comunicado, Thomas Krüger, managing director Air & Sea Logistics EMEA da Dachser.

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.