Uma subida de 48% nas matrículas de pesados de mercadorias em Dezembro não chegou para evitar que o ano terminasse no vermelho, com uma quebra de 3,2%, ou 113 veículos, para um total de 3 110.

A DAF foi a marca que mais contribuiu para os números gordos de Dezembro, com 120 matrículas num total de 318. O prémio foi terminar de novo o ano no primeiro lugar do ranking, com 647 veículos matriculados (contra 602 há um ano) e uma quota de mercado de 20,8%.

A Renault Trucks, que à entrada de Dezembro ainda era primeira, matriculou 43 veículos (mais 72% em termos homólogos) mas acabou no segundo lugar da “geral”, com 597 matrículas (403 há um ano) e 19,2% de quota do mercado. Não ganhou mas ultrapassou a volvo, que acabou 2010 em terceiro, com uma quota de mercado de 14,2% e 441 matrículas (454).

A Mercedes, a Mitsubishi e a Scania foram as únicas marcas em perda em Dezembro. Os alemães recuaram 11,8% para os 15 veículos em Dezembro e terminaram o ano com 306 matrículas (395 em 2009). Os japoneses caíram 50% em Dezembro (de 38 para 19 matrículas), fechando o ano com um registo de 241 veículos (273 há um ano). E os suecos cederam 33,3% no último mês, com oito veículos matriculados, tendo acabado o exercício com 236, mais 1,7% que no ano anterior.

Pelo meio, a MAN matriculou em Dezembro 17 veículos (142,9% mais) e garantiu o quinto lugar do ranking nacional, com 246 registos: uma subida de 5,6%.

Uma referência ainda para  Iveco, que em Dezembro progrediu 85,7%, de 7 para 13 matrículas, mas que ainda assim terminou o ano como a grande derrotada entre as principais marcas, com uma quebra homóloga de 58,8% para os 169 pesados de mercadorias, quando há um ano haviam sido 411. E assim passou de terceira para oitava no ranking.

Os comentários estão encerrados.