Ao contrário de outros construtores, a Daimler Trucks planeia manter as suas fábricas a laborarem em pleno, pelo menos durante o primeiro trimestre de 2012.

Este ano, o construtor alcançou os melhores resultados desde o pré-crise, e mantém-se optimista relativamente ao evoluir dos mercados internacionais.

Entre Janeiro e Novembro, a Daimler Trucks garantiu 420 mil encomendas, uma subida homóloga de 26%. As vendas subiram 15% para as 371 400 unidades.

A puxar pelos números positivos esteve sobretudo o mercado NAFTA, onde as encomendas subiram 81% (até às 124 400 unidades) e as vendas cresceram 47% para os 102 400 veículos. Mas também a Europa teve um comportamento positivo, com um aumento de vendas na casa dos 11%, para os 53 500 camiões Daimler.

Em termos globais, a Daimler Trucks estima que no ano corrente os mercados NAFTA terão crescido 35%, sensivelmente o mesmo que a Europa.

Para 2012, e apesar das incertezas que persistem, os responsáveis do construtor germânico acreditam que o mercado mundial de pesados de mercadorias continuará a crescer. Não apenas nos mercados tradicionais mas também nos países emergentes, para onde tem em curso importantes investimentos em centros de produção.

A Daimler Índia Commercial Vehicles deverá iniciar o fabrico de camiões em Abril do próximo ano, com uma capacidade de 36 mil unidades/ano. Na Rússia, as parcerias com a Kamaz estão em plena laboração. E na R.P. China a joint-venture com a Foton arrancará dentro de algumas semanas.

Com todos estes desenvolvimentos, a Daimler Trucks aponta para atingir em 2013 a fasquia do meio milhão de camiões produzidos em todo o mundo, além de fixar uma taxa de rendibilidade de 8%. Para mais tarde, até ao final da década, fica o objectivo de chegar à barreira dos 700 mil veículos/ano.

Comments are closed.