Com o iHub, a DB Schenker pretende optimizar a utilização dos camiões eléctricos nos serviços de logística, visando a máxima utilização com o mínimo de carregamentos.

A DB Schenker vai lançar em Berlim os testes do projecto iHub, que pretende demonstrar como as tecnologias de informação (TI) podem ajudar à integração de camiões eléctricos nas frotas dos prestadores de serviços logísticos.

Em comunicado, a companhia germânica lembra que as experiências de utilização de veículos eléctricos pelos serviços postais ou de encomendas não podem ser transferidas, sem mais, para o contexto da logística, uma vez que as distâncias a percorrer e as cargas a transportar são maiores.

“A electromobilidade apresenta desafios específicos no contexto das actividades logísticas para cargas LCL, uma vez que este sector necessita que as entregas sejam rápidas, pontuais e de confiança. Dado que os veículos eléctricos necessitam de ser recarregados com regularidade, podem ficar em desvantagem quando comparados a camiões movidos a diesel”, sublinha-se.

A solução passará, então, pela utilização de um sistema de gestão inteligente que permita o planeamento dinâmico da viagem, de modo a afectar aos camiões eléctricos apenas os serviços em que eles se revelem tão fiáveis quanto os veículos a diesel. E é aí que entra o iHub.

O projecto está a ser desenvolvido pela DB Schenker, em parceria com a Framo, fabricante de camiões eléctricos, o instituto Frauhhofer e várias outras empresas e entidades. A iniciativa é financiada pelo governo federal.

Para a implementação do iHub serão utilizados três camiões eléctricos de 18 toneladas. Enquanto estiverem em trânsito, e para evitar qualquer recarga, o software desenvolvido a propósito calculará a rota mais eficiente. Para maximizar a eficiência, os dados operacionais são seguidos online e usados para recomendar acções específicas.

Comments are closed.