A norte-americana Delta Air Lines comprou uma participação de 20% da Latam, num negócio de 1 900 milhões de dólares (1 700 milhões de euros).

O objectivo da Delta é alargar a presença nos mercados da Latam, que é a maior companhia aérea da América do Sul, ganhando quota à American Airlines.

A operação, o maior investimento da Delta desde a sua fusão com a Northwest Airlines, há uma década, será financiada com dívida recém-emitida e fundos disponíveis. A companhia, que faz parte da Sky Alliance, espera que a aquisição aumente os lucros por acção nos próximos dois anos e a sua receita em mil milhões de dólares nos próximos cinco anos, segundo avançou o CEO, Ed Bastian, citado pela “Reuters”.

A propósito de alianças, a companhia irá financiar a Latam com 350 milhões de dólares para que esta abandone a Oneworld – que integra desde 2010, em conjunto com American Airlines, British Airways e Iberia – para a conexão com a rede da Delta. O acordo prevê, além disso, que a companhia norte-americana compre quatro A350 da Latam e assuma o compromisso que esta tinha para adquirir outros 10 aviões que serão entregues entre 2020 e 2025.

Além disso, a Delta deverá alienar a participação de 9% que detém na brasileira Gol, dado que esta é concorrente da Latam no Brasil.

Este anúncio é o exemplo mais recente de que a companhia aérea norte-americana, sediada em Atlanta, adoptou uma estratégia agressiva de expansão através de joint-ventures ou compra de participações noutras companhias. Dado que a legislação proíbe as companhias aéreas de adquirirem a totalidade do capital de concorrentes de outros países, as empresas estão a apostar na compra de participações minoritárias, com o objectivo de expandirem a sua exposição em outros mercados.

 

Comments are closed.