A Delta Airlines e a EasyJet apresentaram uma proposta conjunta para comprarem 40% da Alitalia. O valor oferecido é de 400 milhões de euros.

A injecção de dinheiro anunciada por Delta e EasyJet pode ser a última tábua de salvação oferecida à Alitalia.

Além do valor de compra, a dupla propõe-se injectar mais de mil milhões de euros para manter a companhia aérea transalpina à “tona”.

Não são conhecidos para já pormenores do plano industrial da companhia, nomeadamente no relativo a rotas e postos de trabalho.

A Ferrovie dello Stato (FS) controlará os restantes 60% do capital, assim se garantindo o controlo nacional da Alitalia, que é uma condição do governo – formado pelo Movimento Cinco Estrelas (M5S), anti-sistema, e pela Liga, de extrema-direita. Só que, ao contrário de EasyJet e Delta, a FS não tem experiência na gestão de companhias aéreas.

A Alitalia, que não apresenta lucros desde 2002, recorreu ao apoio do Estado italiano em Maio de 2017 para evitar declarar falência. Encontra-se, desde então, a ser gerida por três administradores de insolvência.

Embora se esperasse uma decisão até o final de Fevereiro, ainda não há fumo branco de Roma. Assim, todas as partes envolvidas continuam à espera de uma solução.

 

 

 

Comments are closed.