O PSD prepara-se para questionar a Comissão Europeia sobre o cumprimento das directivas comunitárias relativas às emissões poluentes pela APDL.

Paulo Rangel, coordenador do grupo parlamentar europeu do PSD, anunciou em Matosinhos a intenção de levar a Bruxelas o problema da movimentação de estilha no porto de Leixões, que tem sido alvo de críticas dos moradores de Matosinhos.

Rangel e os eurodeputados Maria da Graça Carvalho e José Manuel Fernandes propõem-se questionar a Comissão Europeia, no sentido de chamar a atenção do Porto de Leixões e da Câmara Municipal de Matosinhos para a obrigatoriedade de cumprirem, e fazerem cumprir, as directivas comunitárias sobre as emissões de ruído e atmosféricas.

Os moradores de Matosinhos queixam-se do barulho e das poeiras provocadas pelas operações de descarga e movimentação de estilha de madeiras na Doca Sul do porto de Leixões, numa área concessionada ao TCGL.

A Câmara de Matosinhos também já intimou a APDL a actuar, ameaçando mesmo utilizar os mecanismos legais que terá à disposição para por cobro à situação. A APDL, por seu turno, já anunciou várias medidas para minorar os impactes ambientais daquela actividade.

Precisamente, o deputado comunista Honório Novo questionou o MOPTC sobre tais medidas e, mais, sobre quem irá fiscalizar a sua aplicação e os seus resultados.

Comments are closed.