Os veículos afectos ao transporte de mercadorias beneficiarão de mais descontos em mais portagens, podendo chegar a 80% do valor da tabela, decidiu o Governo. Mas há limites.

Governo alarga descontos nas portagens no Interior

 

Os novos descontos nas portagens, decididos no Conselho de Ministros da passada sexta-feira e hoje detalhados, aplicam-se apenas às vias do Interior.

Os veículos de transporte de mercadorias das classes 2, 3 e 4 passam a beneficiar de mais um desconto de 15% sobre o preço das portagens no período diurno, e de um desconto de 20% no período nocturno e aos fins de semana.

No caso de empresas sediadas e com actividade em concelhos de baixa densidade, acresce um desconto de 25% em todos os períodos horários e para todas as classes de veículos de mercadorias.

Estes descontos somam-se aos já implementados pelo Governo em Agosto de 2016 (15% para todos os veículos e mais 15-30% para os veículos das classes 2, 3 e 4 em horário diurno e nocturno e fim de semana).

Feitas as contas, no limite, o desconto nas portagens pode chegar aos 80%, sublinha o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

O ministério dá o exemplo de um veículo da classe 4 de uma empresa sediada no Interior que em 2015 pagaria 34,55 euros para percorrer os 176 km da A25-IP5, e que com o novo esquema pagará apenas 13,23 euros (no período nocturno) ou mesmo só 7,35 euros (no período nocturno).

Mais ligações incluídas

Acrescido é também o âmbito geográfico de aplicação dos descontos. A A13 (Pinhal Interior) e a A28 (Norte Litoral) juntam-se à A4 (Transmontana e Túnel do Marão), A22 (Algarve), A23 (IP e Beira Interior), A24 (Interior Norte) e A25 (Beiras Litoral e Alta).

Descontos têm limites

Os descontos agora anunciado não são, no entanto, ilimitados. No comunicado emitido a propósito, o Ministério de Pedro Marques lembra que a medida deve ser “enquadrada na regra de “minimis”, ao abrigo da qual apenas podem ser concedidos apoios que não excedam os 200 mil euros durante um período de 3 anos (100 mil euros para as empresas que desenvolvem actividades no sector dos transportes rodoviários)”.

 

Tags:

Este artigo tem1 comentário

  1. O senhor ministro não acerta 1 vez, esqueçeu a auto-estrada A6 que serve o Alentejo região que ocupa “apenas” 1/3 ou seja 33 % do território nacional, pior que o Pedor Marques só mesmo a ministra do mar Ana Paula Vitorino que há 3 anos mete água por não fazer a renegociação das 3 administrações portuárias e por culpa destes 2 ministros que nada fazem a economia de Portugal já começou a perder movimento nos portos e o crescimento económico é o mais baixo da UE, só visto caro 1º ministro António Costa páre de mentir aos portugueses sobre o falso milagre económico pior que o 1º ministro só mesmo o José Sócrates !